Gente,

olha esse post da Patricia Sanchs que entende tudo sobre maquiagem, coloração e visagismo.

Postado por Patricia Sachs23 de março de 2016

Quantas vezes você comprou uma base que não era do seu tom exato? Quantas vezes você comprou aquele batom que ficou lindo naquela blogueira mas, quando aplicou em você mesma, não pareceu mais tão deslumbrante assim? Isso ocorre porque toda pele possui, não apenas um tom (que pode ser claro, médio e escuro), com também um subtom diferente da outra (que pode frio, neutro, quente ou oliva).

Uma das primeiras coisas que aprendemos em qualquer curso de maquiagem de qualidade (no meu, claro! ahahhaha) é sobre a gama de tons e subtons de pele existentes. E que não basta a gente identificar só o tom de pele da cliente – o que, convenhamos, é algo bem fácil de se fazer. É preciso identificar também qual o subtom. Isso é importantíssimo pra a gente saber, não apenas qual é o seu tom de base e corretivo ideais, mas também quais cores ficam mais harmônicas em você, mas também quais realçam, contrastam, suavizam, etc. Por isso, neste post, vou te ensinar como identificar o seu tom e subtom, pra nunca mais errar na vida! Vamos lá?!

P.S.: O post ficou textão sim, porque infelizmente esse é um assunto muito pouco abordado, e não é todo mundo que conhece cada um dos tópicos que precisei abordar. Mas fiz com muito carinho (demorei 10 horas pra finalizar, rs), com o objetivo de realmente ajudar as pessoas a entenderem esse assunto de forma mais plana. Espero que acrescente muito o seu conhecimento.

O que são cores frias, quentes e neutras?

Para entender como funciona a extensa gama de cores de pele, primeiro você precisa entender o que são cores frias, neutras e quentes. Cores frias são tons azulados e rosados. Cores quentes são tons amarelados e alaranjados. E, por fim, cores neutras são tons que resultam de uma mistura de uma cor quente com outra fria, como tons como cinzas, beges, marrons e verdes. Mas, fique atenta(o), dependendo da intensidade da cor quente ou fria na mistura, o tom naturalmente irá tender pra um frio ou quente. Para entender melhor, dá uma olhada nesse círculo de cores auto explicativo que desenhei.

 

O que é melanina?

Agora o próximo passo é entender como funciona a principal protagonista que dá a pigmentação da nossa pele: a melanina. A melanina é o pigmento responsável pela coloração da nossa pele. Ela pode ser encontrada dentro da nossa derme e epiderme, nos cabelos, nos pelos e nos olhos. Por isso, a melanina também é o responsável por definir nossos tons naturais de cabelo e olhos.

Até aqui já entendemos que dentro da derme há a famosa melanina. Mas o que ainda não sabemos é que a melanina é dividida em três categorias, e cada uma possui as três cores diferentes que se mesclam e dão o tom final para nossa pele. Se não deu pra entender, explico melhor: os tom e subtons só existem por causa da presença e quantidade de cada uma das 3 melaninas presentes na pele e cabelos. Que também, coincidentemente, são as três cores primárias que aprendemos na aula de Educação Artística láááá no ensino fundamental, você se lembra? Que são as cores azul, amarelo e vermelho. E, só com essas cores, é possível criarmos uma gama infinita de todas as cores possíveis no mundo! Muito legal, né? E quais são esses três tipos de melaninas, vocês me perguntam? Além da própria melanina que é marrom/castanha,  são elas:

Eumelanina – Que possui pigmentos azulados.
Feomelanina – Que possui pigmentos amarelados.
Tricosiderina – Que possui pigmentos avermelhados (Por ser incomum, quase nunca é citada, mas ela existe! E é característico em quem possui cabelos ruivos naturais).

Muito importante também saber que a melanina é um polímero oriundo do aminoácido tirosina, ou seja, a melanina só é possível existir a partir desse aminoácido. Por isso, quando a pessoa possui deficiência desse aminoácido (tirosina), no organismo, ou possui pouca quantidade dele, nos deparamos com casos de albinismo. Aí ocorre a ausência de cor de pele, dando um aspecto mais pálido e branco. E por isso, costuma ser mais difícil identificar seus subtons ou encontrar uma base idêntica ao tom de pele de pessoas albinas. Mas pra não deixar dúvidas, fica a dica a partir da minha experiência pessoal: geralmente, pessoas albinas possuem o subtom bem neutro, beirando o acinzentado. Claro que pode variam pra mais rosadas ou não, dependendo da quantia de ausência desse aminoácido, mas na maioria dos casos o tom é bem neutro mesmo. Então nada de usar bases super amareladas ou super rosadas em pessoas albinas, ein?! É receita para o desastre, rs.

Resumo da ópera… A cor da pele é determinada geneticamente, mas pode variar um pouquinho ao longo da nossa vida dependência da variação do aminoácido tirosina no nosso organismo (tanto é que existem muitos suplementos para ingestão que fornecem esse aminoácido) e também do quanto costumamos nos expomos ao sol. Mas os diferentes tons e subtons de peles dependem diretamente das proporções variáveis dessas 3 melaninas. Capisce? Então vamos em frente!

O próximo passo é entender como funciona essas tais quantidades de melaninas na pele e como identificar elas, o tom e subtom de pele seu ou da sua cliente. Mas, pra isso, vamos descobrir qual a diferença entre TOM  e SUBTOM.

 

O que é tom de pele?

Antes de identificador qualquer subtom, é preciso primeiro identificar o tom de pele da pessoa. O tom da pele é a altura do tom que a pele possui, ou seja, o quanto mais próxima é a cor do branco ou do preto (que vai do claro ao escuro). Fiz um gráfico ilustrativo de diversos tons pra você entender melhor. Claro que não existem apenas esses, existem muito mais variações existentes, devido a miscigenação de raças, etnias e povos. O gráfico é só para dar uma ideia!

O que é subtom?

Agora que voê já tem ideia do que são tons, melaninas, cores primárias, cores quentes, frias e neutras, fica mais fácil compreender o subtom aplicado na pele. Subtom nada mais é do que a cor de fundo da pele (amarelado, azulado, neutro, esverdeado…), enquanto a predominante é o seu tom (claro, médio ou escuro). Isso muitos maquiadores já sabem, certo? Errado. Infelizmente, muitos profissionais formados não fazem ideia de como trabalhar com subtons, porque simplesmente os cursos não ensinam direito ou só dizem que existe tom frio e quente. Só, fim. O que poucos cursos explicam é como se comportam a quantidade dos pigmentos das melaninas e como elas variam de pessoa para pessoa, criando muito mais do que apenas tons frios e quentes.

Lembra das 3 melaninas (azul, amarela e vermelha)? É aqui que elas se encaixam. Há muuuuuita variação de tons de pele no mundo todo, mas diversos estudos definiram que há 4 principais subtons. E, a partir desses quatro, há variações mínimas entre deles também (ou seja, mesmo identificando o tom e subtom certo, ainda precisamos ajustar um tiquinho o subtom pra ficar perfeito ao da cliente). Mas vamos focar nesses 4 que são muito mais importantes!

Explicando o gráfico: frio (que é mais azulado), neutro (que tem equilíbrio entre azul, amarelo e vermelho), quente(que é mais amarelado) e oliva (que é mais amarelado e azulado, o que dá un aspecto mais esverdeado ao tom).

Eu sei, ficou um pouquinho complicado de entender, mas depois que você entende parece até coisa besta, hahahaha. Enfim, e é a partir desse subtom que alcançamos diversas variações de tons (claro, médio, escuro…). Olha que incrível, né? É complicado? É! Mas depois que você pega o fio da meada,  vira  a coisa mais simples do mundo.

E é muito importante lembrar aqui que o subtom da pele não tem nada a ver com etnia, ou seja, ao contrário do que muita gente pensa, não é porque seu tom é escuro que você possui necessariamente o subtom quente, e não é porque seu tom é claro que você possui subtom frio, e por aí vai. (Eu fico POSSESSA quando vejo maquiador indicando base amarelada só porque a pessoa é negra, ahhhhhhhhh).

Como a gente aprende melhor olhando, fiz um gráfico ilustrativo de peles com subtons frios, neutros, quentes  e esverdeados aplicados em 3 tons de pele – claro, médio e escuro. (Já perceberam que sou a louca dos gráficos, né? hahahahhah #virginianafeelings)

 

Li até aqui e entendi tudo, Pati! Mas como então eu identifico um tom e subtom?

Primeiro, parabéns pela força de vontade em ler até aqui. hahahahh Segundo, olha, aprender a identificar subtons não é tarefa lá muito fácil. Geralmente, quem trabalha com cores, como maquiador ou cabeleireiro, devido à experiência por convívio, consegue identificar o tom e subtom a olho nu (e ainda assim às vezes erramos, acontece…). Mas se você estiver dificuldades em descobrir o seu ou da sua cliente, há quatro formas de saber:

1 – Observando a coloração das veias: Todo mundo já sabe que as nossas nas veiam correm sangue vermelho, coloração essa devido à hemoglobina presente no mesmo. Agora imagine a junção desse tom vermelho das veias com a camada de pele e gordura bege/amarelada por cima, mais os pigmentos secundários dela que falamos anteriormente (azulados, avermelhados e amarelados), e resulta em cores de veias diferentes a olho nu. Por conta disso, é possível identificar o nosso subtom a partir da observação da coloração das veias. Legal, né? Então faz o teste agora e observe as suas veias do antebraço ou pulso. Se elas são arroxeadas, o subtom é frio (veias vermelhas + pele bege com pigmento azulado = roxo). Se elas são verde-azuladas, o subtom é neutro (veias vermelhas + pele bege com equilíbrio de pigmentos que deixam ela também mais bege, assim se misturando o bege com o vermelho somente = verde-azulado). Se elas são amarronzadas, o subtom é quente (veias vermelhas + pele bege com pigmento amarelado = marrom). Se elas são esverdeadas, o subtom é oliva (veias vermelhas + pele bege com pigmentos amarelado e azulado = verde). Importante saber também que, geralmente, quem possui subtom neutro fica um pouco perdido na hora de identificar, porque é uma coloração meio termo que pode confundir muita gente. Que é o meu caso, eu tenho subtom neutro e às vezes minhas veias parecem roxas, outras parecem verdes. Isso quer dizer que eu tenho um tom neutro – um meio termo. Então se você não está conseguindo identificar as suas, talvez seja neutro também. :)

2 – Comparando a pele com sombras cintilantes ou iluminador: Outra forma, menos popular, é aplicar tons de sombras cintilantes ou iluminador no braço analisar com qual cor a pele se parece mais. Use sombras, de preferência cintilantes, nas cores rosa claro, bege claro, dourado e verde claro. Observe bem elas na pele e a que “desaparecer” mais possivelmente é o seu subtom.

3 – Treinando, mas treinando MUUUUUUITO: E a última e mais certeira forma, que é basicamente treinar muuuuito em diversas “cobaias” das mais variadas etnias, traços e cores! Conhecimento é poder, e ele só vem com o estudo e experiência. Nada tem nada melhor do que separar um tempo para você poder treinar sua maquiagem em mulheres das mais variadas belezas. Com o tempo e dedicação, você vai aprendendo a identificar mais facilmente os tons e subtons, sem correr o risco de errar numa cliente pagante. Então, maquiadores, NUNCA hesitem em fazer projetos pessoais de maquiagem e criem um costume de convidar amigas, familiares e modelos para treinar constantemente! Quanto mais treino, mais experiência. Quanto mais experiência, mais conhecimento. E, quanto mais conhecimento, mais qualidade e confiança o nosso trabalho. <3

 

E é isso, pessoal. Fiz esse post com muita dedicação e carinho. E espero realmente que tenham aprendido muito com ele e, o mais importante, que tenha acrescentado muito para sua bagagem (caso você seja um profissional). Não esqueça de deixar seu comentário pra eu saber se esse post foi útil para você. E compartilhe muito com todos os seus amigos e maquiadores que conhece. :)

Um beijo!

E ai pessoal? Tuno né!

Segue o link e site

http://patriciasachs.com.br/como-descobrir-o-tom-e-subtom-exatos-da-sua-pele